Mônica Calazans é a primeira vacinada no Brasil

Weebacosta 17/01/2021 Relatar Quero comentar

Uma enfermeira de São Paulo foi a primeira pessoa vacinada contra a covid-19 no Brasil, neste domingo (17), após a aprovação, pela Anvisa, do uso emergencial de dois imunizantes: o Coronavac, do laboratório chinês Sinovac em colaboração com o Instituto Butantan, e o da Astrazeneca/Universidade de Oxford, elaborada em conjunto com a Fundação Oswaldo Cruz.

 O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, porém, descreveu a vacinação como uma "jogada de marketing" do governador de São Paulo, João Doria, adversário do presidente Jair Bolsonaro, e indicou que o plano nacional de vacinação começará oficialmente na quarta-feira.

  Mônica Calazans, uma enfermeira negra de 54 anos que trabalha em uma unidade de terapia intensiva, recebeu a primeira dose da CoronaVac no Hospital das Clínicas, em São Paulo, capital do estado mais populoso do Brasil, que registra quase um quarto das quase 210.000 mortes por coronavírus no país de 211,8 milhões de habitantes.

Mais de cem pessoas foram vacinadas depois dela no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, informou o governo de São Paulo.

O ministro da Saúde afirmou que qualquer movimento "fora" dos planos do ministério "está em desacordo com a lei" porque "despreza a igualdade entre os estados e entre todos os brasileiros". Ele especificou que as seis milhões de doses da Coronavac, que fazem parte da ordem de uso emergencial, começarão a ser distribuídos na segunda-feira entre as 27 unidades federativas.

Sua aplicação priorizará os trabalhadores da saúde, maiores de 75 anos e maiores de 60 anos moradores de residências para idosos, assim como a população indígena.

Comentário do usuário