"Faço terapia até hoje", diz vítima de golpe da sedução; perdeu R$ 30 mil

Carlosandre1055 11/01/2021 Relatar Quero comentar

A cozinheira industrial Iracema de Cássia, 54, era uma mulher de muitos sonhos, dentre eles, fazer um curso de culinária na França e também casar-se, ter uma família. Há pouco mais de um ano, ela imaginou ter encontrado o grande amor de sua vida pela internet, o namoro virtual perfeito se tornou um pesadelo quando ela se viu vítima de um golpe popular com origens no norte da África, que já enganou milhares de mulheres no Brasil: o golpe da sedução.

No passado, a prima de Iracema havia se casado com um polonês e vivia fora do país há anos, o que colaborou para que a mineira acreditasse que tudo aquilo pudesse ser real.

É sempre doloroso quando tenho que tocar nesse assunto, ainda vou ao psicólogo, mas temos que ter força para seguir em frente

Iracema de Cássia

A mineira relata que tudo começou quando recebeu, por meio do , um pedido de amizade de uma pessoa que seria um americano na faixa dos 50 anos chamado Charles Harris, que dizia ser de Boston.

O papo evoluiu do Facebook para o , logo nas primeiras conversas, Iracema se recorda dele ter perguntado quais eram os sonhos dela, uma tática comum dos scammers (fraudadores em tradução livre), que iludem mulheres enfatizando aquilo que elas sonham realizar: casar-se, constituir uma família e ter um futuro juntos.

Na ocasião, a mineira estava morando na casa da irmã em Conselheiro Lafaiete, em Minas Gerais, em que ajudava a cuidar da mãe com câncer, e aguardava uma decisão da Justiça envolvendo uma indenização trabalhista.

As conversas virtuais se tornaram longas e diárias, o americano se dizia militar em missão no Afeganistão, enviou fotos, porém nunca vídeo chamada.

"Após muitas conversas, ele confessou que havia gostado muito de mim e queria vir para o Brasil, mas que estava em missão estrangeira, e que precisava se casar de novo para ter férias. Aceitei o pedido feliz, ele disse então que enviaria uma encomenda para o Brasil, que seria as nossas alianças e uma quantia para comprar uma casa para gente. Aceitei, até porque ele havia dito que viria por uma empresa de confiança chamada Skynet Expresse".

Seria o início de um pesadelo na vida da mineira que a assombra até hoje.

Uma bola de neve em taxas

Os fatos foram acontecendo de forma simultânea, quando a família da mineira descobriu o relacionamento virtual e tentou alertá-la, ela já estava apaixonada.

Paralelo a isso, a ação na Justiça havia saído, e Iracema havia acabado de receber em torno de R$ 30 mil. A suposta encomenda havia sido enviada para ela: "ele me enviou o código de rastreamento, e eu fui acompanhando o trajeto dela, até que um dia chegou o aviso que o pacote estava já na alfândega e que para liberá-lo, teria que pagar uma tarifa".

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário