Ministro da Saúde traz notícia reveladora sobre vacinação contra a Covid-19 e cita prazo para campanha começar

Só matérias boas 07/01/2021 Relatar Quero comentar

A pandemia do coronavírus segue assolando a população nacional em larga escala, com uma subida exponencial de novos casos e óbitos nas últimas semanas.

Em meio ao cenário de críticas pela demora no início da campanha de vacinação e supostos problemas para o país adquirir insumos e equipamentos, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, fez um pronunciamento na noite desta quarta-feira (6), para amenizar os questionamentos e dizer que o Brasil está preparado para vacinar a população.

Segundo Pazuello, o país tem seringas suficientes para iniciar a campanha de imunização da população ainda no mês de janeiro de forma simultânea em todo o território nacional.

O responsável pela pasta também pontuou que o governo vai publicar ainda hoje uma Medida Provisória para a liberação de compras de vacinas e insumos. A MP ainda determina que o Ministério da Saúde será responsável pela coordenação da campanha de imunização, bem como dá direito a compra de vacinas antes mesmo da aprovação pela Anvisa.

“Asseguro que todos os estados e municípios receberão a vacina de forma simultânea, igualitária e proporcional à sua população. Brasil imunizado! Somos uma só nação! No que depender do Ministério da Saúde e do Presidente da República a vacina será gratuita e não obrigatória”, disse o ministro Eduardo Pazuello, em pronunciamento reproduzido em todas as emissoras de rádio e televisão na noite desta quarta-feira (06).

Divisão dos imunizantes

Pazuello disse que o país já possui cerca de 354 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 garantidas para 2021. Deste quantitativo, 254 milhões serão da parceria realizada com o laboratório AstraZeneca/Oxford com a Fiocruz e as 100 milhões são oriundas do laboratório chinês Sinovac, a Coronav, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan.

Comentário do usuário
Você pode gostar