Mulher teve queimaduras de 3º grau após receber buquê de flores com bomba dentro; ex é suspeito

Carlosandre1055 07/01/2021 Relatar Quero comentar

Edileuza Cardoso Ramalho dos Santos, de 49 anos, está internada com queimaduras de 3º grau. Explosão destruiu parte de sua casa.

A polícia identificou nesta quarta-feira (6) o principal suspeito de ter enviado um buquê de flores com explosivo para Edileuza Cardoso Ramalho dos Santos, de 49 anos. A identidade do suspeito não foi divulgada. 

A delegada de Polícia Civil de Francisco Morato, Marilda de Jesus Reis Romani, responsável pelo caso, ressaltou que nenhuma prova será descartada. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou, por meio de nota, que a unidade solicitou exames periciais e está ouvindo testemunhas.

Edileuza está internada em estado estável Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Ela sofreu queimaduras de terceiro grau nos braços. Rosto, cabelo, tórax e barriga também foram queimados. A vítima também teve a audição afetada e um dos estilhaços atingiu seu olho, segundo Jhonata dos Santos, um dos filhos da vítima. Ela recebeu pontos no queixo e na barriga e sofreu ferimentos também dedo mínimo e  no braço direito.  

A família criou um perfil nas redes sociais para pedir contribuiçõe spara arrumar a casa que teve cômodos destelhados, portas arrancadas e móveis perdidos no impacto da explosão. Para contribuir com a reconstrução, é possível enviar doações para o Banco Santander, agência 0259, conta 01038875-2, em nome de Johnny Santos, filho da vítima, ou entrar em contato com a família pelo perfil @ajudaedileuza.

"Não temos estimativa de valor. Só queremos ajuda com telhas e portas, nós mesmos colocamos. É mais pra arrumar a casa, pra quando ela tiver alta, poder entrar, né. Tá tudo destruído, não tem como ela vir pra casa", conta um dos filhos da vítima, Johnny Santos. 

O pacote endereçado à Edileuza chegou no último sábado (2), entregue por um motoboy, mas só foi aberto nesta terça-feira (5), após a vítima retornar de uma viagem ao litoral. Ao abrir o embrulho, ela percebeu a presença de fumaça saindo do pacote e, na sequência, houve a explosão.

Os familiares suspeitam que um ex-companheiro de Edileuza seja o responsável pelo envio da bomba. Isto porque a vítima terminou um relacionamento de 8 meses com o homem e, desde então, recebia ameaças dele por e-mail e redes sociais. 

Comentário do usuário