Saiba quantas pessoas precisam ser vacinadas para frear pandemia da Covid

will 06/01/2021 Relatar Quero comentar

Para que o Brasil consiga uma proteção eficaz contra a Covid, os especialistas explicam que é preciso começar a vacinação e calcular um número mínimo necessário de pessoas imunizadas. 

Nunca antes se falou tanto em imunização coletiva como agora. O epidemiologista Pedro Hallal diz que pelo menos 70% da população tem que tomar a vacina. 

“A vacinação no caso de uma doença como a Covid- 19, ela tem que ser um pacto coletivo. Uma pessoa estar vacinada significa apenas que ela não vai pegar a doença. Agora, quanto mais gente tiver vacinado, menos o vírus circula no país. A gente tem um número mágico que a gente usa na epidemiologia que é de 70%. Quando 70% da população adquire a imunização, o vírus praticamente não consegue mais se replicar. Então essa tem que ser a nossa meta”, diz. 

E não basta só vacinar. O microbiologista Luiz Almeida diz que é preciso levar em conta a proteção que cada vacina oferece para saber a quantidade de pessoas que têm que ser vacinadas. E é preciso saber ainda a velocidade com que o vírus se espalha. Com base nisso, ele calculou quantos brasileiros têm que ser imunizados para garantir a imunidade coletiva, e também o tempo que vai levar para vacinar todo mundo. Para isso, o pesquisador usou os dados oficiais do governo federal na campanha contra a gripe do ano passado, quando 530 mil pessoas foram vacinadas por dia. 

No caso da vacina da Pfizer/BioNTech, que tem 95% de eficácia, 52% da população teria que ser vacinadas. O que equivale a 81 milhões de pessoas. Se a campanha contra a Covid repetir os números da vacinação contra a gripe, serão necessários 153 dias ou cinco meses para dar uma dose. 

Já a vacina que vem sendo aplicada no Reino Unido – da AstraZeneca/Oxford com 62% de eficácia com uma dose inteira. Nesse caso, como a eficária é menor, 80% dos brasileiros teriam que tomar o imunizante – mais de 129 milhões de pessoas e seriam 244 dias, mais de oito meses para aplicar a primeira dose, segundo o levantamento do Instituto Questão de Ciência. 

Agora tanto a vacina da AstraZeneca quanto a da Pfizer precisam de duas doses para garantir uma proteção maior. Aí vai mais tempo. E o Brasil ainda está negociando a compra das vacinas. 

“A gente sabe que essas vacinas precisam de duas doses para serem eficazes. Então esse é o tamanho do desafio logístico que a gente vai ter que ter. A gente não vai conseguir vacinar em menos de um ano, muito improvável. A pessoa vai tomar a primeira dose e depois de 20 ou vinte e pouco dias, dependendo da vacina, vai ter que voltar para tomar a segunda dose. Então vai ser simultâneo isso: uma pessoa vai estar tomando a primeira, e outra a segunda. É um desafio extremamente complicado. Os outros países estão sofrendo. A gente tá vendo no mundo que agora nos países que começaram a se vacinar, a França teve um desempenho pífio nos primeiros dias, vacinou pouco mais de 500 pessoas, os EUA estão sofrendo para fazer essa vacinação, o melhor país por enquanto está indo bem é Israel, que já vacinou quase metade da população. Claro… É uma população menor, mas eles estão fazendo um grande esforço para fazer isso”, diz. 

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário