Enfermeira do grupo de risco morre de Covid-19 depois de pedido de afastamento ser rejeitado

Matérias Top 06/01/2021 Relatar Quero comentar

A morte da enfermeira Bárbara Christini Ferreira Santos está causando comoção na cidade de Sarzedo, em Minas Gerais. Bárbara fazia parte do grupo de risco para a Covid-19, doença causada pelo coronavírus, e pediu afastamento dos trabalhos nas prefeituras de Contagem e de Sarzedo.

Algumas comorbidades, como diabetes, hipertensão, asma, bronquite, entre outros, colocam as pessoas no grupo de risco para a doença. Estar nesse grupo significa estar mais suscetível a ter complicações em decorrência da infecção causada pelo coronavírus.

A Prefeitura de Contagem aceitou o pedido e liberou Bárbara do trabalho. Já em Sarzedo ela teve que continuar trabalhando, já que o pedido de afastamento foi rejeitado. No dia 14 de dezembro, a profissional de saúde começou a se sentir mal. Com falta de ar e tosse, ela foi a uma unidade de saúde.

Quatro dias depois, a enfermeira foi internada e iniciou uma verdadeira epopeia. No dia seguinte à internação, ela foi transferida para o Hospital Santa Helena, em Contagem. No dia 22 de dezembro, ela foi levada para o hospital municipal da cidade. No dia 1º de janeiro, Bárbara não resistiu e morreu.

Focada no trabalho e apaixonada por enfermagem, Bárbara foi homenageada pelos colegas. No cortejo fúnebre, buzinaço e balões brancos marcaram a homenagem à enfermeira, que até os últimos momentos se dedicou a cuidar do próximo. A Prefeitura de Sarzedo não se manifestou sobre a morte. Em todo o Brasil, quase 200 mil pessoas morreram de Covid-19. Em todo o mundo, são mais de 1,8 milhão de óbitos.

Comentário do usuário