O possível estrago da versão mais contagiosa do coronavírus assusta o mundo

Matérias Top 06/01/2021 Relatar Quero comentar

A chamada mutação B.1.1.7 do coronavírus tem assustado o mundo inteiro, a variante do vírus já foi registrada em mais de 30 países, no Brasil também há registros da mutação. O Reino Unido tem registrado mais de 50 mil casos diários há cerca de uma semana.

O premiê Boris Johnson tomou as providências de emergência, decretando o terceiro lockdown para tentar conter o avanço da nova variante. De acordo com o G1, este novo isolamento em massa pode durar mais tempo, se estendendo até março.

Mutação é uma mudança que pode ocorrer no material genético de forma aleatória. No caso do Sars CoV-2, conhecido como coronavírus que causa a doença Covid-19, ela ocorre no RNA, única fita que trás todas as informações do vírus. As mudanças no RNA acontecem frequentemente, mas não deixam o vírus mais transmissível ou mais potente.

Até o momento, não se pode comprovar que o vírus esteja mais forte ou possa causar a gravidade da Covid-19. Com todas essas informações, os cientistas apontam que as trocas genéticas no vírus mudariam a forma que ele se prende nas células humanas. Essa troca na genética do vírus, poderia indicar que a mutação pode deixá-lo mais transmissível.

A nova versão do vírus foi apontada por estudos médicos com aumento de 50% a 74% mais contagioso. Segundo a OMS, não há dados suficientes que comprovem que a eficácia da vacina será afetada pela nova variante do coronavírus. As autoridades de saúde pedem a todos que se cuidem para evitar a propagação da doença, evitando aglomerações até que a vacina esteja disponível para toda população.

Comentário do usuário